quarta-feira, 29 de maio de 2013

Dia 72 - O que é verdadeiramente importante para si e o respeito pessoal

A partir de uma situação que surgiu aqui em casa, fiquei pensando em quantas vezes eu faço coisas que na verdade eu não gostaria de fazer.

Porque eu aceito ir a um evento social, quando na verdade, eu não estava com vontade de ir. Porque eu faço algo para alguém, quando na verdade, eu não estava com vontade de fazer. Porque digo coisas, quando na verdade, não era bem aquilo que eu gostaria de dizer. Acho que faço isso por vários motivos, um que eu consegui alcançar é a vontade de agradar os outros.

E porque agradar os outros e não agradar a si mesma? Porque nós mulheres somos ensinadas pelas nossas mães por meio de exemplos que a vontade dos outros vêm antes das nossas próprias vontades. Porque permitimos que as pessoas digam o que temos que fazer, como se elas soubessem mais a nosso respeito que nós mesmas! Porque deixamos as pessoas impor suas verdades e as aceitamos, como se o que pensamos ou sentimos não tivesse importância! É sério, as pessoas só fazem o que permitimos que elas façam!

Vivemos numa sociedade que diz que devemos ser boazinhas e que pensar em si mesma é egoísmo. E que egoísmo é feio. Engraçado isso, né? Porque se eu não pensar em mim mesma e nas minhas prioridades, quem vai pensar? Isso é falta de respeito.

Muitas vezes, assumimos mais compromissos do que poderíamos e gostaríamos, e assim, as coisas mais importantes acabam ficando em segundo plano. Acho que como mulher, tenho medo de assumir o que sinto, penso e quero fazer. Não quero parecer rude, fui ensinada que sou uma dama e como tal, devo ser gentil, educada e sorridente! Algo irreal e longe da verdade.

E passamos por tudo isso e ainda ficamos caladas! Vamos a festa, fazemos o favor e dizemos algo com um ar de felicidade, como se nada tivesse nos desagradando! No final das contas, nem sabemos quem somos de tanto se concentrar nos outros.

Estudando sobre o minimalismo, descobri como começar a mudar isso. É preciso descobrir quem somos, do que gostamos, o que queremos fazer, o que pensamos a respeito das coisas. O que é verdadeiramente importante. E o que é importante é prioridade. Não dá para agradar a todos e nem para aceitar todos os convites. Não dá para aceitar verdades alheias. É preciso fazer escolhas e acima de tudo se respeitar em primeiro lugar.



2 comentários:

  1. concordo, Andreia! eu vejo claramente a diferença entre mim e meu irmão. ele sempre foi super egoísta, e todo mundo acha lindo. de mim sempre esperam que eu seja a boa filha, que faça tudo pelo s outros, e eu faço 99% por cento das vezes e quando não faço logo vem o drama, que eu tenho má-vontade. é um SACO. e é machista. eu não vou mais em festas que eu não quero e não faço mais pros outros o que eu não quero. cansei.

    ResponderExcluir

Fazendo bom uso da tecnologia disponível, fugindo do sonho virtual

A tecnologia é algo que parece fazer parte da vida da maioria das pessoas. É comum o uso de computadores, tablets e smartphones nas ativid...