terça-feira, 15 de outubro de 2013

Dia 211 - As roupas que você usa diz qual o valor que você tem?

Estes dias trocando e-mails com a Marina, do blog Um ano sem compras escrevi algo que realmente me fez perceber como eu lidava com a minha aparência antes de conhecer o Minimalismo.

(...) Já fui muito, mas muito encanada com roupas. Hoje estou tranquila, de verdade. Eu acho que o incomodo estava dentro de mim, eu me sentia insegura e achava que eu valia de acordo com as roupas que eu usava. Quando eu vi que o meu valor como pessoa está em outro lugar e não nas roupas que uso, as coisas começaram a mudar(...)

É verdade, era isso mesmo. Eu aprendi que o meu valor estava relacionado com as roupas que eu usava. Assim, eu me vestia bem para ser respeitada, ouvida e levada em consideração pelas pessoas.

Acho que esta forma de atribuir valor às pessoas é uma distorção e pode ser facilmente observado nas situações do dia a dia.

A medida que fui conhecendo o minimalismo e me dando conta de que eu não precisava de muitas coisas, inclusive de roupas caras para dizer ao mundo quem sou, eu fui tirando este conceito errôneo da minha cabeça e fui dando espaço ao que eu verdadeiramente pensava sobre a minha aparência e a minha maneira de me posicionar no mundo.

Sinceramente, nunca me importei com roupas ou sapatos caros. Confesso que eu fazia um esforço danado para me arrumar, para ficar adequada às expectativas das pessoas. Eu queria ficar dentro da média. Acho que deste esforço e da distância que eu mesma estava criado em relação a mim mesma, nasciam o incômodo e a insegurança diante das situações.

Numa crise de bom senso, eu cansei de fazer esforço, joguei um monte de roupas fora e comecei a me redescobrir. Eu precisava saber do que eu gostava de verdade e qual a aparência eu queria ter.

Logo na sequência, eu conheci o Minimalismo, que veio somar a minha vontade de me desvencilhar das tralhas físicas, emocionais e mentais, e potencializou o processo.

A ideia de afastar as distrações e focar no essencial é perfeita para mim. Acho que o foco deve ser direcionado para dentro de si.

Estou começando a ser verdadeira comigo mesma. Ainda fico insegura algumas vezes, mas tenho certeza absoluta que o meu valor enquanto pessoa está na forma como eu me respeito, como procuro respeitar as pessoas, em como eu consegui me afastar das distrações materiais e como estou buscando um espaço para a paz dentro mim.

E definitivamente, o meu valor não está nas roupas que visto ou na aparência que eu tenho.

____________________________________
O Nada de Compras está no facebook agora!
https://m.facebook.com/nadadecompras
guarda roupa
© Michal Wozniak | Dreamstime Stock Photos

2 comentários:

  1. Que bacana, Andreia. Tambem tenho esse mesmo tipo de pensamento. Acho que quando a gente esta bem internamente, a roupa é o de menos! Rs

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, acho até que quando a gente está bem, ficamos mais bonitas e o que vestir fica bom! beijos

      Excluir

Se mantenha no fluxo e tudo será como é

Há algum tempo, ando lidando com situações imprevisíveis, não tenho garantias de resultados positivos e preciso lidar com  os riscos e as su...