quarta-feira, 2 de abril de 2014

As escolhas importantes da minha vida

Ao longo dos 3 anos de ensino médio, eu vivia preocupada e estressada com o vestibular. Acho que além do vestibular em si, o que verdadeiramente me afligia era a escolha do curso para o qual eu prestaria vestibular. Naquele momento era a escolha mais importante da minha vida. Eu não era o tipo de garota que sonhava em casar. Meu maior sonho era ter uma boa profissão e independência financeira.

Crédito da imagem wallpapersus.com

Eu não sabia ao certo o que eu queria cursar, eu só sabia que queria ter uma boa profissão e independência financeira. Eu tinha facilidade e gostava das matérias de humanas e também de exatas. Essa facilidade me deixava confusa, eu não sabia o que escolher. Ora eu queria cursar química, ora física e depois psicologia.

Eu busquei a opinião de familiares, de professores e escolhi um curso baseado numa prospecção de futuro. Há a possibilidade de fazer testes vocações e orientação profissional para facilitar o processo. Na minha época, eu não tinha acesso ao aconselhamento.

Terminei o "terceirão" em 1988. E chegou o grande momento de fazer o vestibular. A informática era algo novo, os profissionais tinham uma boa remuneração e então fiz minha inscrição pela tecnologia em processamento de dados, química e física. Foi o que me pareceu interessante à época. Fiz inscrição em três faculdades diferentes e em três cursos diferentes. E, pasmem, eu fui conhecer um computador na faculdade em 1989. Enquanto isso as filhas, D. e L., começaram a "mexer" no computador em casa e na pré-escola, em 1994, já tinham aula no laboratório de informática.

Registro que a internet chegou na minha faculdade em 1992, e era algo tão abstrato que eu só a enxergava como um "buraco negro" perdido no espaço.

Crédito da imagem wallpapersus.com

Para mim, na faculdade começava o meu futuro profissional. Alguns colegas de sala de aula já eram programadores e trabalhavam na área. Eu não era programadora, não gostava de programar, assim, me enveredei pela área de análise, que acabou sendo o meu ponto forte e que aplico no trabalho que faço hoje. Ao longo de 20 anos de carreira profissional, só trabalhei diretamente com sistemas de informação por 2 anos.

Logo que me formei, ficava pensando que não sabia direito para quê tinha feito aquele curso, pois eu nem gostava tanto assim e nem sabia direito como e onde ia trabalhar. Só que eu também não sabia que o raciocínio lógico, a análise e o diagnóstico de problemas que aprendi na faculdade seria útil hoje.

Atualmente, quando me deparo com situações que preciso analisar, dar um parecer e sugerir recomendações no sentido da resolução ou minimização dos problemas é exatamente a técnica que aprendi nas aulas da faculdade que eu uso.

Crédito da imagem wallpapersus.com

Além disso, todos temos várias habilidades, como gostar de ler, fotografar, ouvir músicas, dançar, cantar, cozinhar, jogar tênis, correr, praticar judô, saber ouvir as pessoas, vislumbrar boas soluções, saber montar um evento, escrever, criar boas histórias, fazer artesanato, ser bom em fazer amigos, animar uma festa, ou quem sabe, cuidar de um animalzinho, saber fazer pesquisas na internet, ser bom em aprender idiomas e uma infinidade de outras tantas habilidade. Tudo isso ao longo do tempo, agrega valor às coisas que fazemos, quer seja na profissão ou na vida pessoal. E é importante mesmo!


Crédito da imagem wallpapersus.com

Hoje a escolha que fiz faz todo sentido. Acrescento. Conheci o D. , pai das minhas filhas, na sala de aula da faculdade. Eu não sabia que a partir dali minha vida tomaria um novo rumo de verdade!

Um comentário:

  1. Tudo o que nos acontece, tem uma razão. Todas as pessoas com quem nos cruzamos têm mensagens para nós, temos é que estar despertos e atentos :)
    Gostei muito do post.

    ResponderExcluir

Alimente seus propósitos pessoais com pequenas mudanças em sua vida

Como falei um pouco no post  vamos-desenferrujar-e-colocar-vida.minimalista em movimento  venho sentindo que é momento de reavivar o minima...