quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Como fugir do consumismo

Então esses dias eu estava pensando a respeito da forma como eu realizo compras e percebi que eu não estou totalmente no controle. Dividi essas questões com a minha psicoterapeuta na última sessão de terça-feira. Foi um papo muito bom, rendeu uma série de colocações e mais reflexões a respeito do tema.

imagem da internet

Na sociedade de consumo em que vivemos, o consumismo é estimulado. O gosto por passear em shoppings é algo comum. As lojas e supermercados estão preparados para estimular o cliente a comprar. Nas lojas o vendedor ou vendedora está ali para cumprir o seu papel - vender. Se pedimos uma determinada calça ou sapato e não tem mais, o vendedor traz outra peça, vai que gostamos. Quando se experimenta uma roupa ou calçado, o vendedor elogia, procurando elevar a autoestima da cliente. Nos supermercados, as promoções estão próximas dos caixas, os produtos mais caros estão na altura dos olhos, periodicamente os produtos são trocados de gôndolas para que o consumidor tenha que dar uma volta maior no supermercado e por aí vai. Parece que tudo e todos estão conspirando para que se compre algo.  

Entendi que é muito fácil entrar na "onda" do consumismo, se deixar seduzir pelos produtos que estão na vitrine ou pela fala do vendedor. No entanto, há algumas coisas que podem ser feitas para que a onda não te leve.

imagem da internet


Eu aprendi alguns truques para serem usados antes e durante uma compra, de tal forma que eu possa controlar o consumo.

1. Planejar a compra: comprar apenas o que estiver de fato precisando, para cumprir algo realmente necessário. 
Por exemplo: meu shampoo acabou. E de que forma vou fazer essa aquisição? Vou sair entrar na loja que eu escolher, pegar o produto, pagar e sair. De maneira bem objetiva para não correr o risco de ver algo interessante e querer levar. 
Isso vale para um vestido para um jantar, para uma toalha de mesa, para um calçado específico ou outra coisa. Quando se tratar de roupa ou calçado é muito importante provar o item, para saber se ficou bom e se dá para usar com outras coisas que tenha em casa. Muitas vezes um conserto pode ser caro. Cuidado!

2. Fazer três perguntas básicas: sempre que for comprar algo se pergunte antes Eu quero? Eu posso pagar? Eu devo? Se as três respostas forem Sim, ok. Se alguma resposta for Não, então não leve, é uma compra por impulso.

3. Aguardar um tempo antes de comprar: fui a alguma loja, adorei uma blusa. Fique com ela na mão por um tempo, passeie pela loja, veja outras coisas. Se no final, a blusa ainda for interessante, e você responder sim às três perguntas anteriores, ok. O que acontece, normalmente, é que você desvia a atenção para outras coisas e a tal blusa perde a graça.

4. Definir uma cota do salário para gasto pessoal: definir um valor para gastos pessoais. De preferência em dinheiro. Se usar naquele mês, ok. Se não usar, guarde e junte com o valor do próximo mês. Como se fosse uma espécie de mesada. Não é permitido gastar a mais.

Seguindo esses 4 passos é possível fugir do consumismo.


imagem da internet

========================================
Obrigada pela leitura!

Abraços!

Andreia Rodrigues

Um comentário:

  1. Olá minha querida! Estes dias eu viajei e aproveitei para tentar comprar um casaco quente pois vou precisar dele no país para onde pretendo ir brevemente..demos umas voltas pela cidade onde estavamos e achamos um casaco bastante quente, dentro do que precisavamos. Porém era caríssimo, 3 vezes mais do que um casaco já caro! Lol. Meu companheiro quis oferecer me mas eu nao achei bem, respondi que conseguimos identico sem gastar rios de dinheiro, sobretudo nesra fase de viagens. Aí continuamos pelas lojas e achamos um vestido lindissimo e quente, por acaso dá pra usar pra onde eu vou pois é acolhedor, de lã simples e elegante! Compramos e já o usei duas vezes nessa semana, me apaixonei lol :)

    onde eu quero chegar é que é tão importante pra mim um equilbrio do consumismo como um equilibrio das nossas necessidades, incluindo as financeiras. Não só eu compro mais um shampoo se a marca que eu uso está em promoção como acho que, com limites, devemos viver e ser felizes como eu fiquei com esse vestidinho novo! E tu sabes como eu raramente compro roupa! :)

    Gostei da tua reflexão e entendo o quão grave pode ficar... Mas não te sintas culpada se compraste mais uma roupa que gostas muito ou que estava em promoção. O segredo é substitui-la tirando uma do teu armario e ser feliz, sem exageros de consumismos! :)

    ResponderExcluir

Fazendo bom uso da tecnologia disponível, fugindo do sonho virtual

A tecnologia é algo que parece fazer parte da vida da maioria das pessoas. É comum o uso de computadores, tablets e smartphones nas ativid...