sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Como superar dificuldades e seguir em frente

Imagem da internet

Esses últimos cinco meses da minha vida estão intensos, e por isso, tenho colhido muitos aprendizados a partir das situações que tenho vivido.

Acredito seriamente que cresço mais nos momentos de dificuldades do que nos momentos de calmaria. Pois nas dificuldades, eu preciso enfrentar  toda sorte de entraves externos que acabam por mostrar questões pessoais mal resolvidas. E aí, eu as reconheço e posso trabalhá-las.

Eu já falei algumas vezes aqui no blog sobre o problema de saúde que tenho. Vivo crises de tempos em tempos e acabo falando do que me afeta aqui.

A cada nova crise, eu me conheço mais e descubro novos recursos que posso usar, a fim de evitar ou minimizar novas crises.

Como disse, os últimos meses foram movimentados. Isso porque assumi muitas responsabilidades profissionais. Do ponto de vista técnico, tenho base para isso. Já do ponto de vista emocional e mental, talvez, eu não estivesse pronta para o que assumi. Então, as responsabilidades logo se transformaram em dificuldades.

Eu enfrentei desafios diários, aprendi sobre assuntos novos, gerenciei pessoas, agendas e resultados. Em alguns dias, o expediente de oito horas diárias não foi suficiente. Eu trabalhei no final de semana e não conseguia me desligar quando eu ia para casa.

Com o passar dos meses, essa impossibilidade de "desligar" começou a interferir na minha vida familiar e na minha saúde. Até o ponto em que entrei em crise.

Eu só percebi o que estava acontecendo comigo quando fiquei doente, alguns dias antes de entrar de férias.

Daí, eu saí de férias, cuidei da minha saúde, descansei e voltei ao trabalho decidida a não entrar naquele ritmo de novo.

Pensei muito e acho que encontrei algumas explicações para o acontecido:

- Quis atender as inúmeras expectativas que depositaram sobre mim;

- Assumi todos os trabalhos que me foram entregue sem questionar;

- Não comuniquei as dificuldades que estava enfrentando;

- Embarquei no nervosismo e ansiedade das outras pessoas;

- Entrei numa fase de hipomania e nem percebi; e

- Esqueci de utilizar toda a rede de apoio que eu tenho.

Agora, depois que entendi o que houve.Também entendi que para toda situação existe uma solução. E que expor as próprias dificuldades nos torna humanos e evita sofrimentos desnecessários.

Imagem da internet
Para todas explicações que identifiquei, existe uma atitude positiva que pode resolver a situação, que nos ajuda a superar as dificuldade e seguir em frente. Então:

 - Lembre que você é humano e expectativas podem ser irreais;

- Perceba seu limite e só assuma aquilo que é possível;

- Comunique as dificuldades que está enfrentando e negocie;

- Mantenha o controle emocional e separe bem o que é dos outros;

- Fique atento ao seu estado físico, mental e emocional; e

- Busque toda a sua rede de apoio.

3 comentários:

  1. Poxa... me identifiquei muito com tudo que disse. Ficar enlouquecida com tudo que se quer fazer, responsabilidades que assumimos, tantas vezes desnecessariamente. É complicado. Tô num momento de avaliação destas coisas todas na minha vida.
    Seu blog já tá na minha lista pra não perder nada.
    E suas conclusões neste post foram perfeitas.

    ResponderExcluir
  2. Minha querida, suas ultimas palavras são para mim a chave de todo o seu post. Nos últimos anos, em cada momento que comecei a "ir abaixo" tive a sorte de ter meu "anjo", alguém muito inteligente, realista e sincero. Todas pessoas deviam ter seus anjos. Algumas não reparam que os têm. Outras não souberam lidar e mandaram-nos embora. Outras estão aprendendo a criar relação com eles. Nem por acaso, eu comecei chamando este meu amigo de "Anjo" e ao longo dos anos me apercebi como isso era tão real.
    Confie em si Andreia. Adoro seus pensamentos tão positivos no facebook e tenho orgulho que você seja uma dos meus 24 amigos lá! =)
    Tenho muito carinho por si. Sempre que precisar me procure e vamos dar risada!!! :-) Boa semana!

    ResponderExcluir
  3. Show de bola, Andreia. As dificuldades, sem sombra de duvidas, nos ensinam muito mais. A dor é a nossa melhor professora. Penso a mesma coisa sempre que estou ansiosa demais: a cada "crise" vivenciada, consigo administrar melhor a minha ansiedade, consigo sair dessa situação mais rapido, embora compreenda que ela tem algo a me ensinar. A questão de se sobrecarregar pode te mostrar que precisa delegar mais. Eu já pensei muito em "ah, mas a pessoa não vai fazer certo, então eu mesma faço", mas isso só vai nos sobrecarregando. Respeitar o tempo do outro é essencial pra aprendermos a ter mais paciencia.

    Beijos!

    ResponderExcluir

Se mantenha no fluxo e tudo será como é

Há algum tempo, ando lidando com situações imprevisíveis, não tenho garantias de resultados positivos e preciso lidar com  os riscos e as su...