quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Sinta-se bem com o seu corpo

Se existe algo que diz respeito a mim, esse algo é o meu corpo. É o que há de mais íntimo e próximo, de tal forma que somos um único ser.

O meu corpo me faz companhia o dia todo, por muitos anos e por toda vida. É com ele que vou aos lugares, me relaciono com as pessoas, me expresso e faço atividades. 

Percebi que é importante que essa relação seja boa. Que eu esteja bem com o meu corpo e me sinta à vontade com ele. Que me cuide com carinho e perceba a beleza em mim.

Eu fui uma criança gordinha. Aquela que tem lindas bochechas rosadas e duas covinhas que surgem no sorriso. 



Quando eu era adolescente e jovem, eu me considerava "cheinha". Eu me sentia acima do peso porque eu era bailarina e para isso, eu tinha que ser magra. Depois, minha mãe era rígida e exigente quanto a aparência física e a alimentação, então eu era duplamente cobrada para ser magra. Com a minha inexperiência e pouca maturidade para decidir, era esse o caminho que eu seguia.

Já na adolescência, eu vivia de dieta. Sempre comendo pouco. Eu fiz várias dietas por conta própria colocando em risco a minha saúde. E acabei me tornando uma adulta com as mesmas preocupações e visões irreais quanto ao meu peso corporal. 

Acho válido o cuidado com a alimentação e a prática de atividades físicas visando a manutenção da saúde, feito com orientação e dentro do bom senso. Já a preocupação excessiva considero prejudicial.

Entendi, que eu me via gorda, fora de forma e feia quando, na verdade, eu não era gorda e não era feia. Talvez, só estivesse me cobrando um padrão de magreza que, realmente, não condiz com o meu tipo físico. 

De uns tempos para cá, estou procurando mudar esses pensamentos e crenças a respeito do meu corpo. Não quero acreditar em exigências e ideias que venham de fora e nem deixar que as influências externas me distancie de quem eu sou. Quero me ver como eu sou de verdade e identificar em quê, eu acredito mesmo.

Ando praticando a aceitação e a gratidão pelo meu corpo. Buscando me amar mais e enxergar que sou muito mais do que a simples "aparência". Tenho conteúdo, penso, sinto, questiono e sonho viver muitas experiências enriquecedoras na minha vida.

Quanto ao meu corpo, tenho me alimentado bem, evitando alimentos que considero ruim para minha saúde e, por outro lado, parei de me privar de coisas que gosto muito. Buscando um equilíbrio. Nada de "neuras". Nada de dietas desnecessárias. Quero me sentir bem com o meu corpo, com a minha casa e com o meu templo sagrado.

E aos poucos, a partir dessas reflexões, decisões e experimentos, eu estou redescobrindo um novo corpo. Um novo "eu". É como se eu estivesse reencontrando a pessoa que sou de verdade. Construindo uma nova relação comigo e reconhecendo uma nova imagem no espelho. É mágico e transformador!

3 comentários:

  1. Oi, Andreia! Te marquei em uma TAG de conhecer novos blogs, se você quiser participar é só olhar as instruções no link, ok?
    http://meudiariominimalista.wordpress.com/2015/09/08/tag-conhecendo-novos-blogs/

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bárbara, obrigada pela indicação, adorei a ideia e fiz o meu post. Beijos

      Excluir
  2. Excelente, Andreia. Devemos escolher o caminho do meio, sem radicalismo. Por mais que existam coisas fisicas que não gostemos no nosso corpo, a partir do momento em nos vemos além só dessa estrutura a vida fica mais leve e passamos a aceitar nossos defeitos e qualidades!

    ResponderExcluir

Lidando com sentimentos de perda

Tenho lidado com sentimentos intensos e profundos, ultimamente. Uma sensação de perda enorme. De que está faltando uma pessoa muito importan...