segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Uma carta para as minhas filhas

Imagem do Filme O Pequeno Príncipe encontrada no Google.


Minhas filhas amadas,

Escrevo tanto por aqui, então, eu andei pensando sobre o que eu poderia dizer de importante para vocês. Talvez eu já tenha dito tudo isso em várias situações do cotidiano. Ainda assim, eu gostaria de registrar em um único lugar algumas palavras, onde nós poderemos voltar e reler quando e quantas vezes quisermos.

Pensei em dividir um pouco do que aprendi com a vida, até o momento. Percebi como a minha vida poderia ter sido mais fácil, se alguém tivesse me falado algumas coisas, quando eu tinha 20 e poucos anos.

Acredito que a vivência de certas dificuldades na vida faz parte do processo de amadurecimento e traz aprendizados únicos. Por outro lado, penso que a vida sempre pode ser mais leve e que uma boa ajuda sempre é bem vinda.

Quando eu tinha a idade de vocês, a época era outra, minhas percepções eram diferentes, a facilidade de comunicação estava só iniciando e o meu mundo era menor e restrito.

A realidade atual é bem diferente, temos uma facilidade incrível de comunicação, o mundo é facilmente percorrido e as fronteiras parecem ter diminuído.

Considerando as mudanças e as diferenças, creio que alguns conhecimentos são válidos independentes da época.

A primeira coisa que eu aprendi é que as coisas mais importantes da nossa vida não somos nós que escolhemos. Além do esforço pessoal, acredito na existência de uma força superior que nos guia e faz com que as coisas aconteçam. Muitas vezes, sem que estejamos esperando ou diferente do que planejamos. Uns chamam de destino, outros de acaso e outros não acreditam.

A segunda coisa que eu aprendi é que por mais que a pessoa tente se planejar e controlar as situações da vida, algo acontece fora do planejado. Ás vezes, pensamos que podemos mapear tudo e pensar em todos os detalhes daquilo que queremos fazer, porém, em algum momento, parece que a vida está fora do controle. Calma! Imprevistos acontecem! E é bom que aconteçam para nos lembrar que não temos controle de tudo e que a vida é uma surpresa e um presente. Planejamento e futuro são importantes. No entanto, lembre-se, a vida é para ser vivida no aqui e agora!

A terceira coisa que eu aprendi é que os bens materiais são necessários assim como o controle financeiro. E o sustento vem de uma profissão digna e do trabalho. Escolher uma profissão é algo difícil, porém, não é definitivo. Você pode mudar o rumo da sua história quantas vezes você julgar necessário e tiver coragem para isso. Pese os prós e os contras, faça algo que traga satisfação e que você possa contribuir positivamente para sociedade.

A quarta coisa que eu aprendi é que a vida é mais bonita quando experimentamos o amor e a convivência com as pessoas. É verdade, as pessoas são complexas e a convivência com elas é algo desafiante, porém, é tão rico e traz tantos aprendizados que arrisco dizer que vale à pena. Algumas decepções podem acontecer. Digo que é da natureza humana. Vá com calma que tudo dá certo!

Por fim, sugiro que sejam pessoas flexíveis e positivas! Que observem as diferenças e convivam com elas com naturalidade e que sejam flexíveis consigo mesmas. Sejam tolerantes com os próprios erros e tenham humildade para reconhecer e aceitar as próprias dificuldades e limitações. Se autoconheçam e sempre estejam dispostas a mudar e a crescer. Vejam a vida com positividade. Sim, a positividade é uma presença de espírito de fé na vida e nas pessoas, é uma forma de enxergar o mundo por meio de lentes com esperança e alegria.

Sejam felizes!

Eu as amo muito!

Mamis

Um comentário:

  1. Que lindo, Andreia! Concordo muito com você: a gente precisa EXPERIMENTAR. Acredito que a vida é experiencia por isso: só aprendemos quando vivemos aquela coisa e a dor nos ensina muito!

    ResponderExcluir

Lidando com sentimentos de perda

Tenho lidado com sentimentos intensos e profundos, ultimamente. Uma sensação de perda enorme. De que está faltando uma pessoa muito importan...