sexta-feira, 22 de abril de 2016

Escolhi viver uma Vida Simples

Estive pensando sobre os conceitos de Minimalismo e Vida Simples, em especial, sobre as situações que me fizeram adotar um estilo de vida simples. Imagino que cada um de nós tem seu entendimento sobre os conceitos citados e suas motivações para adotá-los ou não, assim, pretendo dividir um pouco do que eu penso a respeito.




Eu venci uma época de excessos, passei por um período de transição e, por fim, adotei um estilo de vida simples. Essa filosofia de vida me ajuda a resgatar as minhas origens, e me diz para realizar, tanto quanto possível, escolhas conscientes em todas as áreas da minha vida. Procurando consumir somente o necessário, sem exageros e de forma econômica. E buscar uma vida com menos stress, mais saúde e satisfação pessoal. 

Quando eu quis simplificar a minha vida, as pessoas mais próximas falavam que seria apenas mais uma fase e que logo iria passar. Estavam enganados.

Tratava-se de uma decisão consciente e bem pensada. Uma escolha pessoal mesmo. Respeito, por favor.

Foi uma decisão muito acertada. A atual situação econômica do nosso país é ruim. Os preços dos produtos e serviços subiram e o meu salário não acompanhou. Eu perdi poder aquisitivo. Hoje, eu já não posso mais consumir da mesma forma que eu consumia há três anos atrás. De todo modo, hoje eu precisaria diminuir o meu nível de consumo.

Veja a diferença entre diminuir o consumo por escolha e por necessidade?

Agora, eu te pergunto, não seria cômodo falar em Minimalismo ou Vida Simples quando se tem condições financeiras favoráveis, de tal forma que a pessoa possa escolher que caminho seguir?

E quando a pessoa tem uma renda menor e vive uma Vida Simples, não por escolha, mas por necessidade?

Parece ser confortável falar em adotar um estilo de vida Minimalista ou Simples quando se tem boas condições financeiras que possibilitem escolher onde morar, como vestir, o que comer, como se locomover, para onde viajar, quanto poupar e em que gastar. Já quando a situação financeira é limitada, de fato, as opções de escolha tornam-se restritas e a realidade impõe condições ao estilo de vida que se leva. 

Eu não posso afirmar que pessoas favorecidas estão satisfeitas com suas vidas. Nem o contrário. O ser humano é complexo e o seu nível de satisfação é relativo. Em alguns momentos, a satisfação pessoal parece não estar ligada diretamente com a renda que se possui, dependendo de variáveis subjetivas que são difíceis de serem mensuradas.

Acima de tudo, eu acredito que as pessoas são livres para escolher de que forma querem viver. O que buscam, do que vão abrir mão e o que estão dispostas a fazer para viver uma vida plena. Se querem ser minimalistas ou não. Se querem viver com simplicidade ou não. Livres para pensar em tudo isso e amadurecer seus pensamentos e mudar, caso queira. Conceitos são conceitos e vida real é diferente.

No final, o que eu desejo é uma vida com menos stress, mais saúde, satisfação pessoal. E felicidade. 

8 comentários:

Alimente seus propósitos pessoais com pequenas mudanças em sua vida

Como falei um pouco no post  vamos-desenferrujar-e-colocar-vida.minimalista em movimento  venho sentindo que é momento de reavivar o minima...