sexta-feira, 30 de setembro de 2016

O acúmulo de objetos e o vazio existencial

Gosto de ouvir a Lumen FM enquanto dirijo. Em meio as músicas, há algumas chamadas à reflexão na programação, e hoje, em especial, uma despertou minha atenção.

Uma psicóloga falava sobre o acúmulo de objetos. Segundo ela a aquisição impulsiva de objetos e o seu acúmulo acontecem devido ao vazio existencial presente no ser humano. As pessoas tentam preencher o "buraco da alma" com objetos.





O vazio existencial ou "buraco da alma" não se preenche com objetos. O buraco e os objetos possuem naturezas distintas. O vazio está relacionado a questões emocionais, intelectuais e espirituais. Os objetos não. Assim, para cuidar desse vazio é importante se aprofundar em si mesmo e se haver com essas questões.

Em paz consigo, as escolhas dos bens materiais acontecem naturalmente e na medida da real necessidade.





Enquanto eu ouvia a fala da psicóloga passou um filme na minha mente. Voltei no tempo em que eu consumia muito e a depressão era uma companheira. Vi minha vida mudar quando eu estava atenta e percebi um "insight". A partir dele, resolvi pausar o consumismo e passei a olhar mais para mim na tentativa de entender o que se passava, do que eu sentia falta e o que eu queria de verdade para mim. É um caminho desafiador, contínuo e que me faz bem.

Concluí que a fala da psicóloga faz sentido. Quanto à você, como tem lidado com os seus objetos?

7 comentários:

  1. Concordo plenamente e também só percebi isso quando comecei o desapego físico de todos os objectos em excesso. Comecei então a olhar mais para mim e percebi o que realmente eu preciso para encher esse vazio!

    ResponderExcluir
  2. É isso mesmo, eu piorei meu consumismo pelo vazio existencioal, precisava de uma roupa nova toda vez que ia sair, para as pessoas gostarem de mim, enfim perdi a essência e agora estou voltando!! O importante é preencher esse buraco com coisas intangíveis!

    http://minhanadavidaorganizada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Texto perfeito, é exatamente isso que busco no momento. Namastê a todos.

    ResponderExcluir
  4. Muito boa sua reflexão. A partir do momento em que comecei a repensar meus hábitos de consumo e de vida, passei a viver uma vida com menos peso na consciência (por ter gastado muito), com menos peso nos armários, com mais leveza na alma e mais fluidez na maneira de levar minha vida também

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. me identifiquei. Estou na luta e vejo que minha evolução está fluindo, graças ao bom Deus.

      Excluir
  5. Olá Andreia!!
    Muitos parabéns por esta publicação, concordo inteiramente com as tuas palavras.
    É tão gratificante quando percebemos que não são as "coisas" que nos preenchem, venham então as experiências, as emoções, os sentimentos e tudo o que nos enriquece a alma!
    Beijinho e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  6. É isso mesmo, amiga. Eu penso que quanto mais evoluímos, mais nos desapegados dos bens materiais. De fato, esse vazio existencial só pode ser preenchido através de muito autoconhecimento e um caminho espiritual que, verdadeiramente faça sentido para você. Fora disso, é muito difícil se desapegar dessa felicidade ilusória que os bens materiais nos transmite . Beijos!

    ResponderExcluir

Aprenda sobre a dinâmica da vida

Repensar é meu lema. Aprendi que flexibilizar os pensamentos e atitudes conforme a situação é algo sábio. E surpreendente. Apare...