quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Resultados da segunda semana de organização

Seguindo com a organização da casa. Posso dizer que essa foi uma semana leve. Trabalhei um pouco no descarte de papéis, roupas e calçados.

Já sabendo que no final de semana, a minha prioridade seria outra. Trabalhei um pouco mais na semana passada para compensar.




Eu adiantei a arrumação nos quartos das filhas, organizando guarda-roupas, separando calçados desgastados e destralhei papéis que vão se juntando encima das escrivaninhas.

Tenho percebido que quanto mais móveis temos no quarto, mais chances de ficar bagunçado. São mais superfícies para depositar papéis, roupas usadas, livros, canetas, bolsas, computadores. Logo mais vou abrir as gavetas! Mais lugares escondidos que escondem coisas perdidas! :)

Parece que quanto mais roupas e calçados a pessoa tem, mais difícil é para manter o guarda-roupa e a sapateira arrumados. É um tal de retirar a blusa lá debaixo da pilha de roupas e deixar as outras fora do lugar. Tirar o calçado e deixar pelo quarto para ventilar. A bolsa usada e a jaqueta ficam encima da escrivaninha. O banheiro está tomado de potes de shampoos e cremes usados. Nem vou falar das gavetas agora! Pra quê? 

Muito mais fácil. Usou, guardou. Acabou, jogou fora. Está sujo, lava. Estragou, consertou. Simples.





Quando minhas filhas eram adolescentes, eu passava todos os dias nos quartos delas, fazendo uma arrumação e sempre mostrava para elas como eu gostaria que o quarto fosse mantido. (Doce ilusão!)

Uma delas tinha uma teoria da qual nós sempre sorríamos. Eu pedia para usar os objetos e devolver para o mesmo lugar. E para separar as roupas usadas. Ela falava que de acordo com a teoria do caos, ela ia usando e mudando os objetos de lugar e que, num futuro (incerto), eles chegariam no lugar adequado! E assim, a adolescência passou e sobrevivemos aquela suposta bagunça. Devo ser justa, hoje melhorou!

Ás vezes, fico pensando que dizer que aquele é o lugar certo para guardar o carregador do celular é meio relativo. Ele pode ser adequado para mim que arrumei, mas pode não fazer sentido para a pessoa que vai usar. Então, entendo que a própria pessoa deveria organizar suas coisas e definir o bom lugar para elas. 

Estou pensando seriamente em convidar os donos dos objetos para cada um fazer a sua arrumação. Afinal somos todos adultos e seria uma boa prática se cada um assumisse a responsabilidade por seu quarto e seus pertences. Seria um bom exercício para entender a importância de cuidar dos próprios objetos pelo valor que eles têm. Principalmente para perceber que tudo foi adquirido com muito esforço por meio do trabalho.

Esses foram os ganhos da segunda semana!

Um comentário:

  1. Olá Andreia!
    Vejo que a semana foi bem produtivo.
    Destralhar e organizar uma casa dá trabalho, mas na minha opinião é a compensação do resultado final vale muito a pena! Não só pela prática do desapego que nos faz um bem enorme, mas também pela energia que fica e que nos contagia de uma forma tão positiva.
    Beijinho e continuação de boas organizações e destralhes!

    ResponderExcluir

Aprenda sobre a dinâmica da vida

Repensar é meu lema. Aprendi que flexibilizar os pensamentos e atitudes conforme a situação é algo sábio. E surpreendente. Apare...