quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Experiência: apenas com o dinheiro no bolso

Às vezes uma saída sem pretensão, pode trazer algumas situações novas e algum aprendizado.




Era fim de tarde de sábado, clima ameno na companhia da minha filha. Logo após acordarmos de uma soneca revigorante, resolvemos sair para saborear uma delícia de donut e dá uma volta, ali na vizinhança.

Ao me arrumar, resolvi levar apenas o dinheiro no bolso e o celular. Deixei a bolsa e as chaves do carro. Queríamos andar um pouco e desfrutar a companhia uma da outra.

Sabe aqueles momentos únicos que acontecem na vida da gente? Pois é, algo simples onde encontrei o desprendimento da carga que carrego diariamente. Vivi o foco no que é importante e senti uma liberdade enorme.

Essa pequena volta, se transformou numa caminhada maior e, ao final, numa necessidade de passar no supermercado. Eu levei pouco dinheiro, então, tivemos que eleger o que levaríamos para casa e fazer as contas de cabeça para ver se o dinheiro seria suficiente. Daí, a filha me disse que é assim que ela costuma fazer! Confesso que fiquei pensativa.

Percebi que é muito bom ter um limite claro e definido de quanto será empregado em algo, para saber o que é permitido e o que não dá para fazer. É uma boa maneira de controlar os recursos e para se ter em mente que não é possível ter tudo na vida.

3 comentários:

  1. Verdade, estou numa fase quase zero ansiedade graças a Deus e meu foco é comprar só o que se precisa. Tenho muita coisa por causa da ansiedade e falta de habilidade financeira (eu dira inteligencia financeira,mas não quero ofender meus pais que não nos criaram para isso rsrs). Sigo aprendendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Q jeito humilde, carinhoso, sereno de se pronunciar.

      Excluir
  2. Estou buscando isso, mas ainda não cheguei no seu nível.
    Bj e fk c Deus
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir

Abrindo o baú de memórias

Ultimamente, estou às voltas com as lembranças que surgem a cada vez que tenho contato com os pertences da minha mãe. Coube a mim a ...